18 de nov de 2009

COMIDA LIOFILIZADA... UMA BOA OPÇÃO!




A Liofilização de alimentos é um processo diferente da desidratação. Enquanto a desidratação aquece o alimento até que a água evapore totalmente, na liofilização o produto é submetido a baixas temperaturas e pressão e a água, existente no alimento não evapora, na verdade, passa diretamente do estado sólido para gasoso. O resultado são alimentos  que mantêm a pigmentação e o formato originais. O sabor varia um pouco: o da banana e o do abacaxi, por exemplo são acentuados já o mamão, pode perder um pouco do seu sabor e parecer um tanto insosso.


Como o processo de liofilização, os alimentos não perdem seus nutrientes segundo Afonso Mota Ramos (Departamento de tecnologia de alimentos da UFV). A liofilização faz com que o alimento perca MUITO MENOS compostos do que quando a desidratação ocorre por meio de exposição ao calor.
Ao serem aquecidas, as frutas podem sofrer alteração de cor , caramelização e perda de vitaminas termossensíveis, como os que dão aroma e sabor aos alimentos.
A retirada da umidade faz, aliás, com que os nutrientes fiquem ainda mais concentrados. Os produtos são calóricos e com alta concentração de açúcar e, se por um lado é ótimo para a prática do Trekking e Montanhismo, por outro pode ser perigosa para pessoas que não toleram alimentos calóricos ou com altas doses de açúcar. Estes alimentos dispensam adição de conservantes e, ao se "retirar" a água, impede-se  muitas reações bioquímicas, por isso, o alimento não se deteriora.
Agora, quando falamos de preços, temos de levar em consideração que, para uma trilha, alimentos saudáveis, leves para se carregar na mochila, calórico (queimamos muitas durante o trekking e precisamos repor) apresentam um custo um pouco mais elevado que os tradicionais.
Nos supermercados já existe a oferta de comida liofilizada nas prateleiras. O custo X benefício fica a critério de cada um.
É aquela famosa "comida dos astronautas" que assistíamos nos filmes e nos docuntários da NASA. Atualmente, existem empresas especializadas e que "liofilizam" verdadeiras refeições. Já é possível atualmente, em plena trilha almoçar arroz, feijão, salada e filé de frango liofilizado!!!!  ADEUS para velho companheiro MIOJO... seus dias estão contados!!!!! hehehehehe.


Aqui no Brasil, existe uma empresa com quem já encomendo refeições a um custo não muito elevado e a entrega costuma ser no prazo. Segue o link.

www.liofoods.com.br

Grande abraço e boas trilhas.
Edu.

1 de nov de 2009

FISIOLOGIA NA PRÁTICA DO TREKKING

Sempre que pensamos em praticar um novo esporte, precisamos ter consciência de que será uma novidade para nossa mente e, principalmente, para nosso corpo. 
Quando falamos de Trekking não é diferente!
Temos de ter em mente que estaremos caminhando em um terreno irregular, com obstáculos naturais  (pedras, troncos, raízes e etc) e, exigindo esforço de uma musculatura muito esquecida em nosso dia a dia. Em trilhas sem pernoite, é normal sentirmos principalmente a parte dos tornozelos, panturrilhas e coxas. É o local mais exigido no trekking, e acredite, principalmente na descida.



Outra variável é quando falamos das trilhas com uma ou mais pernoites. Neste caso em particular, estaremos lidando com uma mochila cargueira e distribuindo aquele peso em nossa coluna e cintura. Isso pode causar fortes dores na lombar.



Para evitar ou ao menos minimizar esses efeitos, devemos ter atenção a correta arrumação da mochila, ajustar a barrigueira e principalmente, lembrar que a trilha não deve ser feita de olho no relógio e sim, nas paisagens. Com o tempo e a prática, esses efeitos tendem a sumir com o desenvolvimento natural desta musculatura.
Por isso, NUNCA se esqueça de fazer um alongamento SEMPRE no início e na  chegada.

Abraços e boas trilhas

Edu.